Introdução Alimentar

BLW: como começar?

thumbnail_picsart_12-04-12-24-57

Olá pessoal! Teremos uma série de posts sobre BLW durante as próximas semanas. Para quem não conferiu o primeiro post, clique aqui e confira! 😉

E muitas dúvidas surgem quando se fala do BLW e a principal delas é: como começar a praticar o método? 

Sabemos que a partir dos 6 meses, já se pode iniciar a alimentação complementar dos pequenos. É a partir dos 6 meses que o bebê já começa a sentar sem apoio, pega objetos e levá-os à boca, e consegue segurar com firmeza os objetos, essas são algumas características nas quais, o bebê está pronto para iniciar a alimentação complementar e também, praticar o BLW.

A partir daí, sugere-se começar com “finger foods” , que são aqueles alimentos para comer com as mãos , para depois introduzir as texturas menores: pedacinhos, grãos inteiros e por aí vai;  e por último aquelas que precisam de talheres. O bebê come no seu ritmo pelos seus próprios meios. (Em um próximo post, será sobre os tipos de cortes).
Como recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), deve-se iniciar com as frutas ou, atualmente, muitos recomendam iniciar pelos vegetais. Se a criança não possui nenhuma restrição alimentar como alergia alimentar, por exemplo, pode-se iniciar tanto com os vegetais e frutas, no mesmo dia! Crianças que possuem alergia alimentar, e se os pais optaram por praticar o BLW, deve-se procurar um profissional especialista, pois as recomendações e orientações são diferentes!

O seu filho escolhe o que deseja comer conforme suas necessidades orgânicas. A quantidade de comida é regulada por ele e não por você mamãe. Acredita-se que através da vontade de comer o bebê expressa suas necessidades orgânicas de nutrientes, por isso é importante oferecer escolhas nutricionalmente diferentes e complementares dentro do mesmo prato quando ele já conhece variedade de ingredientes.

O bebê participa de todas as refeições da família ativamente desde  primeiro dia de alimentação complementar. Não existem papinhas, papas ou refeições separadas para o bebê, ele vai acompanhar a dieta familiar, portanto,  o principal é avaliar a dieta da família deixando-a mais saudável possível. Programe o cardápio da família para que o bebê consiga acompanhar pelo menos uma das preparações. O bebê vai estar completamente no controle de seu próprio apetite e satisfação. Se ele quer comer come, se não quer comer não vai comer! O seu papel será oferecer. Não se força o bebê a comer determinado alimento e nem determinada quantidade. A vontade dele de comer é a expressão de suas necessidades orgânicas de nutrientes. Esse principio é essencial para o método dar certo.

Até os próximos posts!
Nutribeijos!

Anúncios

Deixe um recado :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s