Especial de Páscoa: Conheça os tipos de Chocolate!

Olá meus amores! Mais um post do Especial de Páscoa, confira o primeiro post aqui!
Vocês sabem quais são os diferentes tipos de chocolates?

+ Chocolate ao leite:  é o mais consumido pela população brasileira. É obtido a partir da mistura de derivados de cacau (possui em média de 20 a 40% de cacau). Contém manteiga de cacau, açúcar, leite, leite em pó ou leite condensado. Possui uma grande quantidade de açúcar e maior valor calórico que o chocolate meio amargo.

+ Chocolate branco: muitas pessoas consideram-o como chocolate, mas ele não possui em sua fórmula o cacau. Para ser considerado chocolate, é preciso que o produto tenha pelo menos 25% de cacau, e o “chocolate” branco é feito da manteiga do cacau, açúcar e leite. Não contém os nutrientes presentes no cacau, por isso é o mais gorduroso e o mais calórico.

+ Chocolate amargo: é o que possui o maior teor de cacau (de 70 a 90%) e chega a ter 7x mais flavonóides do que o chocolate ao leite. É composto pelas sementes do cacau, um mínimo de manteiga de cacau, sem adição de açúcar e leite (daí o sabor amargo). É rico em antioxidantes que combatem os radicais livres e previnem o envelhecimento precoce e doenças cardiovasculares.

+ Chocolate meio amargo: é feito com 50% de cacau em média, porém apresenta uma maior quantidade de açúcar comparado com o chocolate amargo.

+ Chocolate diet: não contém açúcar em sua composição. São destinados aos diabéticos, porém há uma maior quantidade de gordura e deve ser evitado quem quer reduzir a quantidade de calorias na dieta.

+ Chocolate de soja: especialmente para pessoas com alergia à proteína do leite de vaca (APLV) ou intolerância à lactose. Possui em sua composição a proteína isolada da soja. Vale lembrar que crianças que têm APLV também têm alergia à soja.

+ Alfarroba: uma opção para pessoas com APLV. Enquanto o cacau possui até 23% de gordura e 5% de açúcar, a alfarroba possui 0,7% de gordura e um alto teor de açúcares naturais (sacarose, glicose e frutose), em torno de 38 a 45%. Estudos recentes mostraram que a alfarroba não contém glúten e possui potencial antioxidante muito elevado, semelhante ao do azeite e superior ao do vinho, o que leva os investigadores a acreditarem que os componentes do fruto pode ser úteis no combate aos radicais livres e doenças crônicos-degenerativas. Também reduz efetivamente a assimilação da ingestão diária do excesso de colesterol, devido ao seu teor e qualidade das fibras. Seu poder na redução do colesterol do sangue é o dobro de outras fibras.

Nutribeijos!

Anúncios

Deixe um recado :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s